Alcoólica

Se eu beber e for atrás de você,

por favor,

bata a porta na minha cara.

Se me deixar entrar,

sou incapaz

de esquecer o que tinha dentro

da casa e

de mim.

E se vou embora

com a vista da porta,

posso apagar seu rosto

do porta-retrato da mente

rabisco seus lábios no espelho do meu banheiro

e rasgo o resto de sentimento

no escuro da minha cega embriaguez.

9 comentários:

/ / / disse...

nossa, que coisa maravilhosa!
adoro seus textos.

Analu Oliveira disse...

há dias que versos tão lindos assim me fazem chorar! Fato!

O comentário era meu, era esse, inclusive. aqui estava logado no email de uma amiga! pequenas confusões!

Simone disse...

Ty, lindo!
Como sempre, encantador.
Beijo.

Lah disse...

euu adoro o q vc escreve
muito legal

beijos

uma ótima semana para vc

ITAERCI disse...

Tão bom quanto alguem escreve exatamente oque vc sente. Muito gostoso te ler..

Lah disse...

sumiu?
ta na hora de postar

beijos

Virgilio Vinil disse...

Fiquei embriagado!!!

Fêra Moderna disse...

Imagina se tivesse bebido da Vinil!

Douglas Stofela disse...

Já numa tal cega embriaguez, olhamos para as estrelas e não vemos o céu. Estamos dopados vamos nos aceitando e nos recolocando.
Somos centenas de loucos ou apenas bobos alegres, neste mundão afora existem pessoas do direito e as que estão do avesso, e só percebem isso quando a vida passar! Portanto se eu "Se eu beber e for atrás de você me deixe entrar"...
Rumo a Rio-Lapa 2010.