voltamos a metade do caminho
discutindo política 
a outra metade coube 
ao silêncio preencher o espaço
percebia-se claramente 
a presença do buraco
a cidade exibia longos prédios
que aos poucos se desmoronavam
sobre aquele momento

Ogum

das águas negras dos 
banhos de folhas
escorrem também algumas 
tristezas pelo corpo
hoje, como quem sempre 
fez café para dois
pus sobre a mesa 
brioches e roscas
e um peso de papel
carregando um verso:
o amor ainda arde
difícil manter a alegria intacta 
nas retinas anoitecidas tão cedo
ou no vocabulário apressado em busca
de palavras para um novo grito 
uma guerra que começa na cabeça 
e se desfaz bem no centro
do espiral das horas 
onde a língua não alcança e
o gosto se perde entre os passos
de dança que faz a memória do que sou 
com as repetidas cenas da vida

no breu,
dorme a memória
ao lado do vaso de flores
um belo engano para o dia das mães
quase tudo está morto nesta casa
se não fosse essa esquina 
ponto de encontro das almas
nem eu mesma estaria acordada agora