Vinte e cinco.

Quando nos encontramos,
nossos peitos parecem papel dobrado ao meio
com poesia jogada pelos cantos.
Quando você vai embora,
o papel se corta
e enche com sinônimos de saudade.

Somos dois,
mas estamos sempre em um.

11 comentários:

Erika disse...

Você sabia que só dá pra dobrar papel 32 vezes? Independente do tamanho dele...
é, nada a ver com seu texto.
mas e daí?
eu só consigo pensar em sexo hoje.
beijos.
ashdiuohasdihasidhasduias

disse...

Gostei do texto, da idéia de duas metades, sendo uma, mesmo que dividida em duas.

Enfim...

Bjo

Nobody Go. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriela disse...

o lugar do outro é o meu lugar...

beijos,belo texto como sempre.

rubensb disse...

oi

rubensb disse...

ahhh,consegui!!!rsrs
nossa´, mas é trabalhoso hein ana!rsrsrs
libera logo o comentário pra todo mundo!rsrs

Erika Caroline PE disse...

ana
algum imbecil deletou meu orkut.
¬¬

me adiciona no novo.

http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=14983393751166743065

Alex&Elisa disse...

vc´s são amigos, namorados? wherever, mto legal o texto.

Andreia Lopes disse...

Dizem que isso tem nome: Amor!

Beijinho *

C. disse...

é, moça...
nada se deixando colher tão fácil e uma coisa enorme entre os dedos e as idéias. sei lá.

outro beijo. enorme.

J.J. disse...

25 de junho, meu aniversário. Fico feliz em saber, mesmo que tardiamente, que alguém escreveu algo assim, dois em um, no meu dia. Me lembra uma música que eu adoro:
"E na matemática torta, da vida sem ela, dois menos um é zero! Eu não sou nada do que eu era!"
Bjo
Saudades