Dias inteiros

O azul do céu tem confundido as cabeças de quem passa por aquela rua. Não se sabe o que vem por aí. Tem chovido tanto ultimamente. Tanto fora e tanto dentro. Sempre tanto. Todos se perdem por essas ruas pensando no desencanto que a vida traz. Leve, o vento exercita sua força diária levantando o pó da vida cansada e as migalhas de esperança enjauladas bem no meio dos frágeis corpos passantes. Pensantes. E todos querem não acordar no próximo nascer do sol, não sustentar a mente na confusão dos passos rápidos, mas a chuva ainda cai, o ar ainda existe. E as lágrimas transbordam antes do primeiro passo e secam antes da primeira vista da vida - que espera: um grito, um suspiro, um sorriso. Mas ela, a vida, machuca e a gente sente.

e continua a viver.

4 comentários:

Simone disse...

Putz!
"Tem chovido tanto ultimamente. Tanto dentro e tanto fora. Tanto."
Vou acender um cigarro, e ler mais 37 vezes...
Adorei!

Analu Oliveira disse...

q bom q voltou.
esse texto me lembrou duas coisas, primeiro aquele livro Eles eram muito cavalos e depois a última coisa que andei twittando, a verdade é que sempre a vida continua.

beijos, xará. vamos a um samba aí?

Erika Caroline PE disse...

Sonhei com você.

Erika Caroline disse...

Acho que no final foi bom!